Brightburn: Filho das Trevas

 

MFC Resenha

 


 

Dirigido por David Yarovesky e baseado no roteiro de Mark e Brian Gunn, Brightburn: Filho das Trevas é estrelado por Elizabeth Banks (Jogos Vorazes, 2012), David Denman (Power Rangers, 2017) e Jackson A. Dunn (Vingadores: Ultimato, 2019).

 

O filme conta a história dos Breyers, um casal americano que enfrenta dificuldades em ter filhos, até que uma noite um meteorito cai em sua fazenda, com um bebê dentro. Anos após o terem adotado, o menino começa a apresentar estranhos poderes que o incitam a cometer atos diabólicos.

 

Brightburn: Filho das Trevas expande os limites do gênero de super-heróis e faz uma combinação com o terror, desenvolvendo uma versão mais obscura da história do Superman. Ainda que a ordem dos eventos no roteiro e seu ritmo apressado pudessem ter um maior cuidado, o filme consegue criar uma atmosfera própria e possui um bom desenvolvimento dos personagens.

 

O ponto forte de Brightburn: Filho das Trevas é a interação entre Banks e Denman, cujas as performances mostram uma convincente e orgânica relação diante das ações do filho, e também acaba permitindo que o filme explore tópicos como a maternidade e a paternidade.

 

Mesmo que não seja um dos melhores filmes de 2019, Brightburn: Filho das Trevas já conquistou um grande apoio online entre os fãs que buscam uma nova proposta dentro do gênero de super-heróis.

 

 

Pode deixar seu comentário aqui:

Deje su respuesta

Seu email não será publicado. Campos requeridos marcados *